Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

faíscas da mente

MONICA GOMES

faíscas da mente

MONICA GOMES

Ligações

Olha e pára, pára e pensa. E tem vezes em que o pensamento se torna demasiado profundo. De uma tal profundidade que se calhar não devia deixar que existisse. Mas ela acha que é difícil evitar isso a maioria das vezes.

Ela não sabe se será só da sua cabeça, ou se efetivamente não se conecta a muitos à sua volta. Gosta e ama certas pessoas, e há momentos fantásticos, mas depois há os outros. Aqueles em que parece que não há encaixe, em que parece que é difícil pertencer aqui e fazer-se entender.

Mas ela quer acreditar que se rodeia dos que lhe querem bem e que daí consegue retirar as energias de que precisa.

 

Instagram: @monicagomes_____

Site: moniicagomes.wixsite.com/portfolio

As pessoas perdem-se e encontram-se

people get lost and (1)

O mundo anda, anda e anda. E no meio de tanta azáfama, as pessoas perdem-se e encontram-se. E às vezes ele pergunta-se se será mesmo verdade que nos perdemos de quem nos devemos perder, e encontramos quem devemos encontrar. Se isso é algo natural, ou se somos nós que preferimos entendê-lo assim, como forma de fugirmos da realidade e da nossa própria responsabilidade.

P5 Saúde Mental - alguns exercícios de gestão emocional

Não sou de todo nenhuma especialista neste tema da saúde mental e, portanto, não pretendo vir aqui falar em termos científicos ou algo do género. Mas, numa altura em que, felizmente, este tema começa a ser cada vez mais abordado, descobri um projeto intitulado de "Promoting Mental Health During Pandemic", liderado pelo Instituto de Investigação em Ciências da Vida e Saúde da Escola de Medicina da Universidade do Minho.

O projeto "tem como objetivos compreender o impacto da pandemia COVID-19 na saúde mental da população adulta residente em Portugal e desenvolver ferramentas que permitam a automonitorização da saúde mental". Apesar de "dedicado" a esta fase, acho que a aplicação é transversal a qualquer altura e/ou momento.

Mas, basicamente, o que eu queria vir aqui falar é do teste que eles disponobilizam para avaliarmos a nossa saúde mental (composto por duas escalas: sintomas ansiosos e sintomas depressivos).

Tal como eles próprios indicam, isto é apenas uma forma de conseguirmos identificar a possível presença de algum transtorno, no entanto recorrer aos profissionais médicos é sempre a melhor opção. De qualquer das formas, findo a avalição, caso o teste dê algum nível mais elevado, seja na escala de sintomas depressivos, quer na de sintomas ansiosos, eles têm algumas sugestões que podemos pôr em prática que podem melhorar a forma como nos sentimos, ou ajudar-nos em certas ocasiões.

Fiz o teste e escusado será dizer que os resultados não me surpreenderam: já uma percentagemzinha na escala dos sintomas ansiosos. E, por isso, decidi deixar-vos aqui algumas indicações que eles sugerem (é claro que somos todos diferentes, e lá porque comigo elas funcionaram, não quer dizer que funcionem com toda a gente):

GESTÃO EMOCIONAL

Focar na realidade:

- Identificar 5 coisas que consigo ver à minha volta;

- Identificar 3 coisas que consigo ouvir;

- Nomear 5 marcas diferentes de cereais;

- Nomear 5 países diferentes;

- Identificar 3 coisas que consigo cheirar;

- Nomear 5 animais diferentes que voam.

 

Pensamentos Funcionais:

- Não posso controlar tudo;

- Sou capaz de lidar com isto;

- Um pensamento é só um pensamento e só tem a importância que eu lhe atribuir;

- O facto de pensar que algo de mal vai acontecer não significa que isso se concretize;

- Isto que estou a sentir pode ser desagradável mas não vai durar para sempre;

- Estou em segurança;

- Os desafios e dificuldades trazem-me oportunidades de aprendizagem e crescimento;

- Um passo atrás não significa voltar à estaca zero.

 

Mudar de Perspetiva:

- Os seus pensamentos baseiam-se em factos ou interpretações?

- Existem outras formas de interpretar esta situação?

- Qual é a evidência que suporta o seu pensamento?

- Esta situação é tão séria como está a pensar?

- Como é que alguém mais otimista interpretaria esta situação?

- Qual é o pior resultado que pode esperar e qual a probabilidade de acontecer?

- O que é que pode fazer para resolver o problema?

- Existe alguma coisa de útil que possa aprender com esta situação que lhe permita lidar melhor com situações semelhantes no futuro?

Relaxamento:

https://saudemental.p5.pt/profile/relaxamento/module/relaxamento

 

Ate já 

"Como fazer amigos e influenciar pessoas" - Dale Carnegie

350x

 

Este livro é um dos meus preferidos, se não mesmo o meu preferido, dentro deste género. Mas qualquer trabalho escrito deste senhor (Dale Carnegie) é, para mim, uma obra de arte. Tem uma linguagem muito direta, simples e limpa, e acho que é isso também que nos atrai e, ao mesmo tempo, nos deixa sem dúvida alguma da mensagem que quer passar. 

Acho sinceramente que quem já leu este livro (quem vier a ler há de perceber também) entende como o mesmo assenta perfeitamente ao autor em questão. 

O livro fala, sobretudo, de como chegar às pessoas, de como cada um de nós merece que lhe seja reconhecido o devido valor (e como, claramente, apreciamos isso), de como construir relações humanas, no fundo. Porque, para o bem e para o mal, vivemos em sociedade, uns com os outros, de uns para os outros.

E deixo-vos agora alguns dos princípios que retirei deste livro, principalmente para aqueles que nunca o leram (e com isto o queiram adquirir):

- "Não se esqueça de que o nome de uma pessoa representa, para essa pessoa, o som mais doce e mais importante de qualquer língua."

- "A única forma de vencer numa discussão é evitá-la."

- "Apele aos motivos mais nobres."

- "Fale dos seus próprios erros antes de criticar a outra pessoa."

- "Faça com que os outros fiquem felizes por fazerem aquilo que sugere."

 

Estes são apenas alguns dos princípios apreendidos através do livro, existem muitos outros.

Se vos interessar, podem adquirir aqui.

 

Obrigada,

até já :)

 

Quero o mundo

Eu quero o mundo.

Quero as plantas e os animais. Quero a brisa, o sol, a chuva.

Quero ser pé descalço em todas as terras que puder.

Quero conhecer, ver, cheirar, abraçar. Quero deixar um bocadinho de mim em todo o lado, e trazer um bocadinho de todo o lado em mim.

Quero perder-me por aí, e quero encontrar-me.

Mais sobre mim

univseritarios-skyscrapper

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D